A introdução de alimentos na dieta do bebê traz sempre muitas dúvidas e inseguranças. Descubra como complementar a amamentação com alimentos.

 

É muito difícil entender o momento de complementar a alimentação do seu bebê. Surgem diversas dúvidas como: quando começar? como fazer isso? o que dar para o pequeno? São muitas as perguntas que as mamães se fazem e, por isso, introduzir alimentos pode parecer um bicho de sete cabeças. Mas nem tudo é tão complicado quanto parece.

Com algumas dicas, rotina e perseverança, tudo dará certo. Acompanhe o texto para descobrir.

 

Entendendo a introdução alimentar

A principal informação que os pais devem ter em mente é que a amamentação deve ser a primeira e única refeição do bebê nos primeiros seis meses de vida. Depois os responsáveis podem introduzir alguns alimentos, mas antes, não.

É importante ressaltar também que o bebê pode continuar mamando mesmo depois da introdução de alimentos novos. Se a mãe ainda tiver leite e ambos quiserem continuar com esse hábito, não há impedimento algum, pelo contrário, é perfeitamente normal e aconselhável que o bebê seja amamentado até os 2 anos de idade.

 

Até os nove meses

 Esse é o período mais difícil e que deixa as mamães e papais mais preocupados. Nessa fase é importante introduzir legumes e frutas amassados. Dê preferência sempre para alimentos com sabor agradável para crianças e que venham em embalagens adequadas e lacradas.

introdução alimentar complementar limentaçãoFrutas sempre frescas e da época são uma ótima pedida, além de legumes, também frescos, e sem conservantes. É importante utilizar pouquíssimo tempero e óleo, já que o bebê ainda está amadurecendo seu organismo. Não force o bebê.

Vá mostrando e oferecendo as papinhas aos poucos, principalmente para também ver se a criança não tem alergia a algum alimento. Deixe que ele escolha o que gosta mais ou menos na hora de comer. Evite misturar sabores nesse período.

 

De nove meses a um ano

Nessa fase, os alimentos mais sólidos podem e devem ser introduzidos. Isso é importante, pois estimula o bebê a mastigar e a desenvolver esse mecanismo da mastigação. Mesmo que o bebê ainda não tenha dentes, é uma ótima opção alguns alimentos mais sólidos, como legumes cozidos.

Outra dica importante é sempre oferecer algo para que eles chupem, como frutas. Você pode, inclusive, utilizar um alimentador. Algumas opções são pedacinhos de uva e laranja e até mesmo carne, para que eles possam sentir um sabor diferente e texturas diversas.

Muitos alimentos podem não agradar e o bebê pode “parar de comer”, mas os pais não devem ficar preocupados, é uma fase e logo passará. Cuidado com cascas, caroços e sementes. O melhor e retirar tudo para não ter riscos do bebê engasgar.

 

De um ano a um ano e meio

introdução alimentar complementar limentaçãoNesse período é normal que a criança recuse mais alimentos. É uma fase em que o bebê está mais esperto para o mundo, descobrindo sensações externas e ele pouco se interessará por comida.

Uma alternativa criativa é oferecer lanchinhos saudáveis e frutas diferentes, além de evitar alimentos com temperos fortes ou com muito sal e açúcar.

Não é raro que o paladar da criança se acostume com algo nessa fase e o excesso de açúcar seria um problema.

 

Até os dois anos

Aqui as crianças já conseguem utilizar colheres e canudos, elas estão mais independentes e aproveitam mais a refeição. É importante variar muito os alimentos para que elas não enjoem com facilidade, além de fazer com que o organismo continue saudável com a ingestão de diferentes nutrientes.

 

No geral, os pais ou responsáveis precisam ficar tranquilos. É uma fase delicada, então os bebês vão ficar sem comer muitas vezes mesmo, o que é normal. O ideal é sempre priorizar a saúde e o bem-estar da criança.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *