Viagens de avião podem ser um problema para mulheres grávidas e existem muitas dúvidas a serem respondidas.

 

Mulheres grávidas podem viajar de avião? Essa é uma das principais dúvidas das futuras mamães. Encontrar a resposta não é uma tarefa fácil: cada médico vai dizer uma coisa, cada gravidez é diferente e cada companhia aérea tem suas regras.

Será que existe um guia básico que possa ajudar a mamãe na hora de começar a se informar sobre o assunto? E isso que tentaremos trazer para vocês aqui.

Descubra todas as informações para planejar sua viagem com segurança e sem dores de cabeça.

 

Grávidas podem andar de avião?

Em teoria, sim, toda grávida pode viajar de avião. O ponto decisivo, em geral, é a saúde da gestante, do bebê e o tempo de gravidez. Existem diversas complicações que acabam restringindo esse tipo de viagens, mas para futuras mamães sem problemas de saúde e com bebês saudáveis não será um problema.

 

Principais recomendações

A recomendação geral seguida pela grande maioria das companhias é de que entre o primeiro e segundo trimestre da gestação a viagem aconteça normal, tendo exigências especiais para os trimestres seguintes. O limite para gravidez normal é até 27 semanas e para gêmeos é até 25.

Sim, existem restrições para o primeiro trimestre, mas elas partem mais dos médicos do que das companhias aéreas. Após o segundo trimestre as companhias passam a fazer algumas exigências. Entre a vigésima quinta semana e o fim do sétimo mês de gravidez é necessário ter uma autorização por escrito do médico. Nos dois últimos meses o médico deve estar junto da gestante.

grávida avião gravidez viagem

É essencial evitar aviões ou, ao menos, consultar um médico antes da viagem em qualquer período da gravidez se você tem problemas como:

  • Sangramento de escape;
  • Pressão alta;
  • Pré-eclâmpsia;
  • Doenças que afetem o desenvolvimento do bebê.
  • Histórico de partos prematuros;
  • Diabetes e diabetes gestacional;
  • Já ter passado por abortos;
  • Doenças que exijam acompanhamento intensivo.

 

O primeiro trimestre, últimos meses e seus desafios

Alguns médicos e companhias aéreas não autorizam grávidas em viagens de avião nos primeiros três meses de gravidez. As explicações são bem simples. Mulheres nessa fase de gestação podem sofrer, em viagens mais longas, com:

Essas complicações podem ser experimentadas nessa fase mesmo com os dois pés no chão, mas em aviões, socorrer a mulher em caso de problemas é muito mais difícil. Por isso a recomendação geral é aguardar o começo do quarto mês antes de viagens de avião ou viagens longas de carro.

 

E o sétimo, oitavo e nono mês?

A mesma preocupação existe para grávidas a partir do sétimo mês. Nesse período não é possível prever se ocorrerá a necessidade de um parto antecipado. Por esse motivo, entre o sétimo e oitavo mês as empresas aéreas exigem a autorização do médico.

Apenas seu obstetra poderá dizer se tudo está bem com o bebê e com você, se existem riscos de parto prematuro pela mudança de pressão e se você consegue aguentar tantas horas sentada.

grávida avião gravidez viagem

No nono mês, como o bebê pode nascer a qualquer momento, é essencial que seu obstetra viaje com você, monitorando a todo momento e estando pronto para te socorrer em caso de necessidade. Algumas companhias não permitem o embarque da grávida nem mesmo com o médico.

É necessário entender que, por mais frustrante que seja ouvir que você não pode viajar, é muito pior entrar em trabalho de parto em um ambiente que não está equipado para te atender. Afinal, a aeronave não pode simplesmente descer para que você seja atendida.

 

Quando a grávida não pode andar de avião?

Além dos pontos já comentados, existem algumas condições e situações que podem ser um impedimento para viagens de grávidas em aviões. São casos onde uma doença ou problema coloca a saúde da mamãe e bebê em risco, independentemente do estágio da gravidez.

Claro, nem sempre essas condições serão um veto absoluto para as viagens, por isso, é sempre bom, antes de mais nada, consultar seu médico. Os principais problemas a serem considerados são:

  • Insuficiência placentária;
  • Propensão à formação de coágulos;
  • Anemia falciforme;
  • Anemia severa.

Mesmo uma mamãe e bebê saudáveis precisam tomar cuidados. Voos, principalmente os mais longos, podem causar hemorroidas, varizes e, com mais gravidade, tromboembolismo.

Por isso, se você estiver grávida e pretende fazer uma viagem de avião, faça com cuidado o acompanhamento com o médico, avise-o dos planos com antecedência.

Algumas recomendações podem ser feitas para evitar problemas, como o uso meias elásticas compressivas, medicamentos para ativar a circulação e ainda buscar caminhar durante o voo, dentro do avião. Lembrando que os dois primeiros só devem ser usados com recomendação médica.


0 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *